sexta-feira, 12 de agosto de 2011

REAGENTE PARA O HIV (II) : O reconforto de um depoimento...

Quando comecei as postagens do blog e até na escolha de Mutante H referi-me a essa sensação de ter tornado um ser solitário, um MUTANTE mesmo perante a sociedade.
E quando parti pra web em busca de mais mutantes encontrei muito conteúdo de "auto-ajuda" que pelo menos no meu caso não ajudou em NADA!
Pois são frases feitas que podem ser bem aplicadas em outras situações, mas não me sentia reconfortado por elas.

Até que um belo dia descobri blogs com relatos da realidade nua e crua, com toda a carga de medo e dor que envolve ser portador desse vírus.   Hoje Irei Viver +  numa postagem dessa conHIvivencia tocou bastante pois a dias atrás eu também estava nessa desconfiguração arrumando Minha Casa de Dentro... Não estou sozinho, há mais mutantes h.
"É muito, muito, muito difícil passar por todo esse processo do HIV. Parece que o mundo, a família, os amigos, as pessoas, o trabalho... Tudo fica desfocado, desconfigurado. Como se nós, num primeiro momento, ficássemos anestesiados. Nada existe além desse vírus e, ao mesmo tempo, tudo parece ter um peso maior do que realmente é... Uma sensação de transe nos acomete. Estamos sem estar. Parecemos viver numa outra dimensão. Tornamos-nos apáticos, letárgicos, cansados de tudo. Como se a nossa vitalidade se esvaísse em três palavras: REAGENTE PARA HIV. Vem o medo, a dúvida, a culpa... O preconceito, maldito filho da ignorância. Mais dúvidas, mais medo... Quanto medo! Esse veneno mais perigoso que o próprio vírus. Tristeza. A solidão, oportunista, nos pega a força e nos mantém reféns, por muito Tempo... Por pouco Tempo. Não importa. Esse senhor, o Tempo, nunca mais será o mesmo... Queria um abraço. Queria não precisar lidar com nada disso. Queria voltar no Tempo... Olha ele aí novamente! Preciso ser forte, preciso de força... Queria um abraço... Esse aconchego que ameniza as dores. Queria poder abraçar a todos que, assim como eu, convivem com esse vírus maldito. Shiiiiiiii! Não precisa dizer nada. Só me abraça... É a única palavra que eu quero ouvir. Faz-me esquecer dessa coisa em mim! Diz que tudo vai dar certo, acredito em você.

"Senhor dá-me serenidade para aceitar tudo aquilo que não pode e não deve ser mudado. Dá-me força para mudar tudo o que pode e deve ser mudado. Mas, acima de tudo, dá-me sabedoria para distinguir uma coisa da outra."

Amigos virtuais, hoje, que descrevem de forma emocionante/realistas aquele nosso pensamento mais intimo e de forma "humana" sem parecerem "donos da verdade". Mostra bem o dia-a-dia oscilante nessa variante de pensamentos que se torna nossa vida pós reagente para o HIV.

O efeito psicológico/emocional agrupado ao vírus que a medicina pouco consegue atacar!


5 comentários:

  1. Deus.. E quanta gente tah do nosso lado implorando por um abraço.. Não só por esse motivo, mas por tantos outros.. A todo momento, em todo lugar... Sou muito madre teresa de Calcutá.. queria ter braço para todos esses abraços.... Como não posso.. Abraço quem posso.... Ms coloco meus braços a disposição...

    ResponderExcluir
  2. É tão bom entrar nessa página e deparar com pessoas que são importantes pra mim. Vocês são lindos!! Amo vocês!

    ResponderExcluir
  3. Querido Mutante... Tenho notado seu afastamento... Sinto sua falta. Espero que tudo esteja bem contigo e que tão logo se faça presente. Dê notícias, por favor. Forte abraço!

    ResponderExcluir
  4. Hoje sou eu que estou passando por isso. Assim como você, escrever está me ajudando muito. Ainda bem que consegui 2 dias de licença no trabalho para consegui pensar e tentar colocar a cabeça no lugar. Obrigado pelos seus relatos, ajuda saber que não estou sozinho, e nossos medos são compartilhados.

    ResponderExcluir